Dinheiro compra pão, mas não compra gratidão... 
Entrar    Registo

Opinião do Banco


InfoBank.pt – Tudo sobre dinheiro e bancos em Portugal  >  Perspectivas do mercado de trabalho e economia em Portugal

Perspectivas do mercado de trabalho e economia em Portugal

Tamanho da letra:    Reduzir o tipo de letra  Restaurar o tamanho original  Aumentar o tipo de letra 
229

 A análise dos dados recentes revela insights cruciais sobre a população, mercado de trabalho, inflação, crescimento econômico, migração, e políticas públicas, fornecendo uma compreensão abrangente dos progressos e obstáculos enfrentados pelo país. 
 

 
Em 2022, Portugal registrou uma população residente de 10.467.366 pessoas, sinalizando desafios relacionados ao envelhecimento demográfico e à migração. O saldo migratório positivo de 86.889 indivíduos no mesmo ano destaca a atração contínua de Portugal como destino para migrantes, contribuindo para a diversidade cultural e o reforço da força de trabalho.

No 4º trimestre de 2023, Portugal registou uma população empregada de aproximadamente 4.980,5 mil pessoas. Este número representa uma diminuição de 0,7% em relação ao trimestre anterior, mas um aumento de 1,6% em comparação com o mesmo período de 2022. 

A média anual da população empregada em 2023 foi de 4.978,5 mil pessoas, refletindo um aumento de 2,0% em relação ao ano anterior. Este crescimento anual do emprego indica uma recuperação e fortalecimento do mercado de trabalho.

A população desempregada aumentou para 354,6 mil pessoas no 4º trimestre de 2023, marcando um crescimento de 8,7% em relação ao trimestre anterior e de 3,0% em comparação com o período homólogo.

A taxa de desemprego foi estimada em 6,6%, mantendo-se estável em relação ao 4º trimestre de 2022, mas representando um aumento de 0,5 pontos percentuais em relação ao 3º trimestre de 2023. A subutilização do trabalho afetou 636,8 mil pessoas, evidenciando um leve aumento tanto em relação ao trimestre anterior quanto ao mesmo período do ano passado.

A população inativa com 16 anos ou mais foi de 3.537,5 mil pessoas no 4º trimestre de 2023, aumentando ligeiramente em relação ao trimestre anterior, mas apresentando uma diminuição anual. O desemprego jovem (16 a 24 anos) situou-se em 20,3%, refletindo os desafios persistentes para esta faixa etária no mercado de trabalho.

Analisando o ano de 2023 como um todo, o PIB de Portugal cresceu 2,3%, um decréscimo em relação ao crescimento exponencial de 6,8% verificado em 2022, o mais alto desde 1987. Apesar da redução na taxa de crescimento, o desempenho económico de Portugal continua a ser positivo, sustentado por contributos significativos tanto da procura interna quanto da procura externa líquida.

A procura interna, embora tenha continuado a contribuir positivamente para o crescimento anual, desacelerou em relação ao ano anterior, refletindo uma redução tanto no consumo privado quanto no investimento. Este abrandamento sugere uma normalização da atividade econômica após o pico de crescimento pós-pandêmico.

Do lado da procura externa, o contributo para o crescimento do PIB também foi positivo em 2023, embora com menor intensidade que em 2022. A desaceleração nas taxas de crescimento das exportações e importações de bens e serviços indica uma normalização do comércio externo, alinhada com as tendências globais e desafios econômicos internacionais.

O ano de 2023 testemunhou uma economia portuguesa resiliente, adaptando-se a um ambiente econômico global em constante mudança.

Apesar de uma desaceleração em relação ao crescimento recorde de 2022, Portugal conseguiu manter um crescimento econômico estável, apoiado por uma procura interna forte e uma contribuição positiva da procura externa. 

Fonte: https://infobank.pt


Deixar um comentário
Sem comentários